sábado, 15 de fevereiro de 2014

PEC garante conversão de tempo de serviço para aposentadoria de professores

Professores que deixarem a carreira poderão ganhar o direito de converter o período de atuação na atividade para aposentar-se com tempo reduzido de contribuição.
É o que prevê a Proposta de Emenda à Constituição 317/13, da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES), que retira do texto constitucional a exigência de exercício exclusivo do magistério para o professor ter direito à aposentadoria cinco anos antes que os demais profissionais.
A proposta também insere na Constituição a permissão expressa para a conversão, caso ocorra mudança de profissão. Somente têm direito ao benefício professores dos níveis fundamental e médio, parte do texto que permanece inalterada.
Com a entrada em vigor da Emenda 18/01, segundo explica Sueli Vidigal, os professores perderam o direito à aposentadoria especial, embora tenham mantido o tempo reduzido de contribuição. No caso de professor, a contribuição exigida é de 30 anos, e de professora, de 25.
Igualdade
Para Vidigal, no entanto, os fundamentos que levaram o constituinte a manter o critério da contribuição reduzida para a categoria representa o reconhecimento de que a atividade é penosa, mesmo critério utilizado para a aposentadoria especial.
Por isso, na concepção da parlamentar, com a redação atual, há uma “violação ao princípio da igualdade, porque a Constituição concede tratamento diferenciado, no que se refere à conversão do tempo trabalhado, para segurados que têm requisitos diferenciados de aposentadoria com fundamentos semelhantes”.

Fonte: Portal da Câmara

Comissão deve votar até 12 de março proposta que destina 10% do PIB para educação

A proposta com as metas da educação brasileira para a próxima década deve ser votada até o dia 12 de março pela comissão especial que analisa o tema. Depois disso, o Plano Nacional de Educação (PNE - PL 8035/10) segue para o Plenário.
O PNE foi aprovado pela Câmara em 2012, mas sofreu alterações no Senado. Com isso, voltou para exame dos deputados no final do ano passado. Entre as principais mudanças, segundo o relator, deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), está a destinação dos investimentos em ensino.
O texto da Câmara prevê o gasto de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação pública. O projeto aprovado no Senado mantém os 10%, mas não restringe os gastos ao setor público. Na prática, podem entrar na estatística de cumprimento do índice aquelas verbas aplicadas em convênios ou programas de financiamento do ensino privado, como oFies, por exemplo.
Ensinos superior e profissionalizante
As metas que tratam dos ensinos superior e profissionalizante também devem ser objeto de debate. O texto aprovado pelos deputados prevê que pelo menos 40% das novas matrículas em ensino superior sejam feitas em universidades públicas. O texto do Senado retira esse dispositivo.
O PNE aprovado na Câmara também garante que pelo menos metade das novas vagas do ensino profissional de nível médio sejam oferecidas pela rede pública. Conforme a proposta dos senadores, essas vagas devem ser gratuitas, mas não necessariamente públicas.
Vanhoni explicou que quase todas as vagas de ensino profissionalizante oferecidas pelo sistema público são integradas. Ou seja, nesse modelo, os alunos têm formação acadêmica e profissional concomitante ao longo dos três anos do ensino médio.
“Os outros cursos não são obrigatoriamente integrados. Muitos são de um ano ou até seis meses de duração. Essa modalidade supre uma necessidade imediata do País, porém não deve ser aquela que o Estado deve buscar, isto é, uma formação sólida dos pontos de vista profissional e acadêmico”, argumentou o relator.
Planos
O último Plano Nacional de Educação perdeu sua vigência no final de 2010. A proposta com o novo documento foi encaminhada pelo Executivo ao Congresso em dezembro desse ano. Desde 2011, portanto, o País está sem um plano de metas para o ensino.
A comissão especial do Plano Nacional de Educação teve a sua primeira reunião do ano nesta tarde (11). No encontro, o presidente do colegiado, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), sugeriu um cronograma de trabalho para o grupo. "Queremos ser ágeis, mas sem deixar margens a dúvidas no que votaremos", ponderou.
Lelo Coimbra e Angelo Vanhoni devem se reunir amanhã (12) pela manhã com o ministro da Educação, José Henrique Paim, para conversar sobre o andamento da proposta. A próxima reunião do colegiado da Câmara está marcada para o dia 19.
Depois da votação no Plenário da Câmara, o PNE segue para sanção da presidente da República, Dilma Rousseff.

Fonte: Portal da Câmara de Vereadores

ESTUDO APONTA QUE PARAR DE FUMAR DEIXA A PESSOA MAIS FELIZ

Deixar o cigarro contribui para o bem-estar mental, tendo o mesmo efeito que o uso de antidepressivos, aponta um estudo publicado no periódico médico British Medical Journal (BMJ), na edição disponível a partir desta sexta-feira.
De acordo com os pesquisadores britânicos, que revisaram 26 estudos sobre o tema, o efeito de parar de fumar pode ser "equivalente, ou superior, ao de antidepressivos utilizados no tratamento da ansiedade, ou de transtornos de humor".
Os fumantes incluídos nos trabalhos eram "medianamente dependentes", com idade média de 44 anos, e fumavam de 10 a 40 cigarros por dia. Do total, 48% eram homens.
Eles foram entrevistados antes de sua tentativa de parar de fumar e, novamente, depois de conseguirem largar o hábito, em uma janela que variou de seis semanas a seis meses.
Os que conseguiram deixar o cigarro estavam menos deprimidos, menos ansiosos, menos estressados e com uma visão positiva da vida do que os que não conseguiram abandonar o vício. A melhora foi perceptível nas pessoas afetadas por transtornos mentais logo que pararam de fumar.
Nenhuma avaliação de acompanhamento do estado mental voltou a ser feita, porém, em especial nos casos dos ex-fumantes que tiveram recaídas.
A coordenadora do estudo, Genma Taylor, da Universidade de Birmingham, disse esperar que os resultados permitam dissipar falsas ideias, como a que atribui ao cigarro qualidades antiestressantes, ou relaxantes.
"Comparando não fumantes e fumantes, encontramos uma associação entre uma pior saúde mental nos fumantes", acrescentou.
Segundo números divulgados em julho passado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o cigarro seria responsável pela morte de pelo menos 6 milhões a cada ano, número que pode atingir 8 milhões até 2030.

Fonte: Portal do Holanda

Médicos Militares Poderão Atender em Hospitais Públicos



O Senador Eduardo Braga, comemorou a promulgação da PEC 77/2014, que permite aos médicos militares acumular cargos públicos e atender civis em hospitais e unidades de saúde estaduais e municipais. Atualmente, esses profissionais atendem exclusivamente em unidades de saúde do exército, da marinha e da aeronáutica.
A estimativa é que, pelo menos, 15 mil médicos das forças armadas poderão acumular o atual cargo com outros do setor público. O senador Eduardo Braga, líder do governo no senado, foi um dos grandes defensores da matéria no congresso nacional e responsável pelas articulações que garantiram a aprovação da PEC no senado, no ano passado.
Ele disse que os médicos poderão atender em regiões longínquas, especialmente em áreas de fronteira do amazonas.Eduardo Braga lembrou que os profissionais das forças armadas poderão complementar o trabalho das equipes do programa mais médicos, que consiste em fazer atendimento básico de saúde em localidades onde há escassez de profissionais.

Fonte: Assessoria do Senador Eduardo Braga

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Conheça cinco alimentos que 'escondem' açúcar

É consenso entre médicos e pacientes que a ingestão excessiva de açúcar é extremamente prejudicial para a saúde.
Porém, o que pouca gente sabe é que alimentos que aparentemente são vendidos como 'saudáveis', na verdade, contêm altas doses da matéria-prima.
Segundo uma pesquisa realizada por cientistas americanos e publicada em 2012, o consumo mundial do açúcar triplicou nos últimos 50 anos e está ligado a inúmeras doenças, como obesidade, diabetes e câncer.
Uma nova campanha da ONG Action on Sugar elaborou uma lista em que figuram alguns alimentos que 'escondem' grandes quantidades de açúcar.
O objetivo, além de conscientizar o público, é pressionar os fabricantes a reduzir a quantidade do subproduto da cana.
Conheça, a seguir, cinco desses alimentos.
1 - Alimentos com 0% de gordura
Alimentos com 0% de gordura não possuem, necessariamente, 0% de açúcar. Este é o caso dos iogurtes.
Nesses alimentos, o açúcar normalmente é adicionado para dar sabor e cremosidade ao produto quando a gordura é removida.
Um iogurte de 150 gramas com 0% de gordura pode ter, por exemplo, até 20 gramas de açúcar - o equivalente a cinco colheres de chá, alerta a Action on Sugar.
Esse valor equivale à metade da quantidade diária de açúcar recomendada para mulheres, que é de 50 gramas. Nos homens, a taxa diária é um pouco superior, de 70 gramas.
'O problema é que as pessoas que compram comida com 0% de gordura querem consumir um alimento com um gosto semelhante ao de 100% de gordura', afirma a nutricionista Sarah Schenker.
'Para adequar seus produtos ao paladar dos clientes, os fabricantes adicionam açúcar quando a gordura é retirada. Se as pessoas querem alimentos mais saudáveis, precisam aceitar que eles tenham uma aparência e um gosto um pouco diferente', acrescenta Schenker.
2 - Polpa de tomate
Uma polpa de tomate feita a partir de tomates frescos possui inúmeros nutrientes, mas aquelas compradas em mercados, normalmente enlatadas, podem ser cheias de açúcar.
O ingrediente é normalmente adicionado para que a polpa fique menos ácida. Um terço de uma lata de 150 gramas, por exemplo, pode ter até 13 gramas de açúcar, valor equivalente a três colheres de chá.
3 - Maionese
Produtos que contenham maionese são inimigos de quem quer combater o consumo excessivo de açúcar. Uma colher pode conter até quatro gramas do ingrediente.
'Molhos, em geral, contêm grande quantidade de açúcar', afirma Schenker.
4 - Água
Depende do tipo. Alguns tipos de 'águas vitaminadas' têm adição de açúcar. Um copo de 500 ml de algumas marcas pode conter até 15 gramas de açúcar, o equivalente a cerca de quatro colheres de chá, diz a Action on Sugar.
5 - Pão
O pão é um dos alimentos que mais 'escondem' açúcar, destaca a ONG. Uma fatia de pão processado pode ter, em média, até três gramas de açúcar.
O açúcar presente no pão, aliás, é normalmente formado no processo natural de fermentação, mas também pode ser adicionado durante a fabricação do alimento.
'Não é porque o alimento é salgado que ele tem baixo teor de açúcar', lembra Schenker.

Fonte: G1 globo

Pesquisadores apresentam riscos das cabeceadas no futebol

Os gols de cabeça que fazem a alegria de torcedores têm um significado oposto para a saúde de seus autores. Foi isso o que provou um estudo desenvolvido pela Universidade de Toronto, no Canadá, publicado ontem na revista científica “Brain Injury”. Os diversos contatos com o crânio durante um jogo de futebol podem contribuir, a longo prazo, para o declínio cognitivo dos atletas.
Esses danos não são tão severos como os provocados pelo boxe, mas é preciso cuidado. Quem vive da atividade está sob constante risco de sofrer colisões que causam concussões — lesões cerebrais moderadas. Os casos mais graves, por exemplo, são ocasionados pelo contato acidental ou inesperado, como os que são fruto da colisão entre jogadores. Entretanto, é cada vez mais latente a preocupação com consequências comportamentais a longo prazo para quem sofre constantes impactos leves.
A avaliação, feita com base em análises de outras pesquisas sobre o assunto, apontou que jogadores mais antigos apresentavam déficit de memória e percepção, além de resultados ruins em testes de atenção. Também foi constatado prejuízo no pensamento conceitual e nos tempos de reação e concentração. O trabalho foi liderado pelo médico Tom Schweizer, diretor do Programa de Neurociência do Hospital de St. Michael.
Segundo o estudo, em times colegiais americanos, 62,7% dos jogadores avaliados já haviam sofrido sintomas de concussão durante um jogo. No entanto, apenas 19,2% perceberam o problema. Goleiros e jogadores de defesa são os mais expostos à riscos.
As concussões também representam 15% do total de abalos cerebrais registrados em atividades esportivas. No total, aponta a pesquisa, 41,1% das lesões moderadas resultam do choque da cabeça com cotovelos, braços e mãos; e 58,3% ocorrem em dias de disputa de algum título.
Sem alarmismo
Para Claudio Gil de Araújo, diretor médico da Clinimex, especializada em medicina do esporte, esses números não devem causar espanto. Ele ressalta que não existe risco zero em qualquer atividade esportiva e que o histórico do futebol, especialmente no Brasil, não está relacionado a grandes traumas cerebrais.
— O que é importante ser feito é minimizar esses riscos, ao mesmo tempo em que se maximizam os benefícios desta atividade esportiva. Nosso cérebro está flutuando dentro de uma camada líquida. Ele sabe se proteger bem — assegurou.

Fonte: O Globo

Viagra feminino chega ao mercado com a promessa de aumentar a libido

Uma nova pílula apelidada de “Viagra feminino” chega às lojas inglesas este mês com a promessa de aumentar significativamente o prazer sexual das mulheres. À base de ervas, a pílula chamada Lady Prelox contém um extrato de casca de pinheiro francês chamado Pycnogenol e vai custar o equivalente a R$ 132 por 60 comprimidos cor de rosa — o correspondente a um mês de tratamento, já que a indicação é tomar dois comprimidos por dia.
O fabricante da Lady Prelox, Nord Pharma, afirma que seu produto “aumenta a libido e a excitação em mulheres”, pois “estimula o fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos, bem como o cérebro”.
Na Itália, cientistas conduziram um pequeno estudo com 40 voluntários entre 40 e 50 anos e um outro grupo de mulheres entre 37 e 45 anos. Os dois grupos relataram melhora na vida sexual depois de oito semanas.
O presidente da Associação de Aconselhamento Sexual, Graham Jackson, cardiologista dos hospitais St Thomas, em Londres, disse ao “Daily Mail” que a teoria por trás das pílulas de Lady Prelox podem estar corretas.
- Sabemos que em homens a disfunção sexual é basicamente um problema vascular. Não temos evidências concretas disso em mulheres ainda, mas pode haver uma relação - disse. - As pílulas não são afrodisíacas, se não houver desejo pelo parceiro nenhuma pílula funcionará.
A obstetra e ginecologista Andy Heeps, no entanto, se diz cética quanto ao assunto:
- Disfunção sexual feminina é uma área complexa. Não há uma única causa, então não há solução mágica.
Lady Prelox é a versão feminina do Prelox, para os homens. Lançado em 2010, as vendas anuais de Prelox na Europa já batem os 10 milhões de libras.

Fonte: O Globo

domingo, 26 de janeiro de 2014

Primeira bola de futebol sustentável do Brasil é lançada no Amazonas

Uma bola de futebol que pode ser reciclada e se transformar em novos produtos e tem no design e matéria-prima traços marcantes da Amazônia. Assim é a Caramuri, a primeira bola de futebol sustentável do Brasil, desenvolvida pelo amazonense Beto Mafra.
A Caramuri é confeccionada a partir de látex de seringueira, como explicou o idealizador da bola. “A bola é fabricada a partir de uma lâmina vegetal produzida do látex da seringueira. Ela não é produzida em PVC, como as bolas atuais, e nem de couro animal. É uma nova opção para o consumidor. E é uma opção correta porque é ecológica”.
Mafra disse, ainda, porque a bola é classificada como sustentável'. “Para você ter uma ideia, as bolas atuais que são produzidas em PVC levam de 100 a 150 anos para se decompor. Essa bola [Caramuri], por ser ecológica, se decompõe em cinco anos se ficar jogada num canto, em um rio, igarapé ou no lixo. E tem outra diferença importante: ela tem a dinâmica reversa. Depois que ela for usada 'pra' se jogar futebol, ela pode ser reaproveitada. Ela é triturada e depois pode se transformar num solado de tênis ou em um tapete de automóvel, por exemplo”.
O design da bola conta com duas listras paralelas - uma verde e outra azul - que representam os rios Negro e Solimões. Já a parte de cima da 'pelota' foi inspirada na textura da casca da fruta buriti, porém na cor laranja. “É uma coisa totalmente amazônica, de raiz. Estamos literalmente levantando a nossa bola para o Brasil”, brincou Mafra.
Copa
Caramuri é uma fruta tipicamente amazônica que tem sua safra de quatro em quatro anos, justamente no período da Copa do Mundo de Futebol. Beto Mafra tentou emplacar a Caramuri como a bola oficial da Copa de 2014, mas não obteve sucesso. Entretanto, seu maior objetivo é apelar para a preservação da fruta na Floresta Amazônica. “O projeto não é só da bola, mas também de preservação das nossas espécies. Há um costume antigo que o nosso pessoal do interior derruba a árvore 'pra' colher as frutas. E ela [caramuri], que já é rara, está quase sendo extinta. Nossa intenção além de divulgar a bola é dar esse alerta 'pra' que as instituições responsáveis por essa área [floresta amazônica] façam um trabalho de preservação”, contou Beto Mafra à reportagem do Portal Amazônia.
Em seu nono protótipo, a bola Caramuri foi testada pela primeira vez na inauguração do Estádio Municipal Manoel Baraúna, em Maués (distante 257 quilômetros de Manaus), em um jogo do time máster do Flamengo contra a seleção de Maués. “Os jogadores aprovaram. [Eles] Disseram que é uma bola muito legal de se jogar. Inclusive a delegação do Flamengo levou uma bola 'pra' ficar exposta lá na Gávea [estádio de futebol do Flamengo, no Rio de Janeiro]”, relatou Mafra.
O objetivo de criador da bola é fazer é torná-la comum em campeonatos de futebol amadores e profissionais no Amazonas a partir deste ano. “A bola já ficou apta a receber o selo da CBF [Confederação Brasileira de Futebol] e até o da Fifa [Federação Internacional de Futebol, na sigla em inglês], tanto pelo tamanho, espessura, peso para ser jogada em campeonatos oficiais amadores e profissionais. Nós estamos fazendo o contato com as federações de futebol, tanto da capital quanto do interior, as ligas municipais, 'pra' ver se utilizam essa bola já neste ano de 2014”, revelou.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Piso salarial dos professores terá reajuste de 8,32% em 2014

O piso nacional dos professores de educação básica deverá ser fixado este ano em R$ 1.697,39, para uma jornada de 40 horas. O valor é calculado com base na comparação da previsão de custo por aluno anunciada em dezembro de 2012 (R$ 1.867,15) com a de dezembro do ano passado (R$ 2.022,51). A portaria com o novo valor ainda não foi publicada, mas, segundo o Ministério da Educação (MEC), isso deve acontecer ainda neste mês.
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) diz que o reajuste ficou aquém do esperado – a entidade estimava o aumento em 15%. Em nota, a CNTE argumenou que “dados já consolidados do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação], até novembro de 2013, apontam crescimento do valor mínimo de aproximadamente 15%”.
Mesmo com o percentual inferior ao esperado pelos trabalhadores, a Confederação Nacional de Municípios estima que, para o reajuste de 8,32%, haverá aumento de R$ 4,151 bilhões no pagamento do magistério. Com isso, a média do comprometimento das receitas do Fundeb com salários dos professores irá para 79,7%. Isso significa que quase todos os recursos voltados para a manutenção do ensino nos municípios estarão sendo gastas com pagamento dos salários dos professores.
Segundo a CNM, em mais de mil municípios, o comprometimento ultrapassa 100% do Fundeb. “Isso é insustentável, o piso do magistério vai liquidar a educação básica”, diz o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. Ele lembra que o fundo deve ser usado também na construção e manutenção de escolas, laboratórios, bibliotecas. “Não adianta valorizar o piso e acabar com o resto”.
O Fundeb é formado por recursos provenientes dos impostos e transferências de estados, do Distrito Federal e dos municípios, além de uma complementação federal, quando o valor da arrecadação não atinge o investimento mínimo por aluno estabelecido nacionalmente. A União faz a complementação em nove estados. Segundo, Ziulkoski, os repasses deveriam ser maiores e feitos a mais estados.
A presidenta da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Repulho, diz que a situação é preocupante. “O professor tem direito ao reajuste do piso, mas voltamos à preocupação da participação de estados, municípios e União [nos gastos com educação”.
O MEC diz que “compreende a dificuldade dos municípios com a folha de pagamento e tem tentado promover o diálogo entre prefeitos, governadores e CNTE. Segundo a assessoria de imprensa do ministério, o debate continua em 2014, com o incentivo às mesas de negociação. O MEC destaca que a complementação aos estados tem crescido ano a ano. O valor destinado aos estados passou de R$ 1,1 bilhão, em 2000, para R$ 10,7 bilhões, no ano passado. “Além disso, outros programas reforçam o apoio da União aos estados e municípios, como os de transporte escolar, merenda, construção de creches e de quadras, livros didáticos, e o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE)”.
O MEC explica também que o valor mínimo nacional por aluno/ano pode variar, não apenas de um exercício para outro, mas dentro do próprio exercício, o que aconteceu em 2013. O cálculo apoia-se em estimativas anuais das receitas formadoras do Fundeb, "as quais, não raramente, requerem revisão das projeções pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda, em decorrência do comportamento da arrecadação, por sua vez dependente da política fiscal e do comportamento da própria atividade econômico-financeira do país".
O piso salarial passou de R$ 950, em 2009, para R$ 1.024,67, em 2010, e R$ 1.187,14, em 2011, conforme valores informados no site do MEC. Em 2012, o valor vigente era R$ 1.451 e, a partir de fevereiro de 2013, passou para R$ 1.567. O maior reajuste foi o de 2012: 22,22%.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Projeto permite dedução do IR de despesa com livros técnicos e didáticos

As despesas com a aquisição de livros técnicos poderão vir a ser deduzidas das declarações de Imposto de Renda Pessoa Física. A medida está prevista no Projeto de Lei 5859/13, do Senado Federal. Para a isenção, os livros têm que abordar assuntos específicos da área de atuação do profissional.
Também estão incluídos no projeto os livros didáticos, inclusive os comprados pelo contribuinte para os seus dependentes.
O valor a ser deduzido poderá chegar até o limite anual individual previsto para pagamentos de despesas com instrução do contribuinte e de seus dependentes. Em 2014, esse limite é de R$ 3.375,83.
Incentivo ao estudo
O senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP), autor do projeto, afirma que a finalidade é possibilitar que um número maior de pessoas, que não estão isentas do recolhimento de Imposto de Renda, tenha acesso ao conhecimento e atualização profissional através dos livros.
“Para se ter uma ideia dos custos de uma formação universitária, um atlas de anatomia humana, livro básico para o curso de Medicina, chega a custar R$ 350. Um livro de Direito Constitucional conceituado não custa menos de R$ 100”, diz o senador.
A proposta estabelece que o Poder Executivo será responsável em estimar o total da renúncia fiscal dos livros técnicos e deverá incluir o valor no projeto de lei orçamentária.

Projeto destina recursos de 14º e 15º salários de parlamentares à educação

Da deputada Erika Kokay (PT-DF), o Projeto de Lei 5694/13, em análise na Câmara dos Deputados, destina ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) os recursos remanescentes da extinção do pagamento de ajuda de custo aos parlamentares (14º e 15º salários), aprovada em março do ano passado pela Casa. Ainda conforme o texto, o valor será atualizado a cada ano pelo índice oficial de inflação.
Segundo Kokay, o fim do pagamento dessa subvenção no início e no final de cada ano representaria economia da ordem de R$ 31,4 milhões no exercício de 2013, e de cerca de R$ 100 milhões até 2015. “Ainda que absolutamente insuficiente para suprir a carência de recursos para a educação, [esse reforço orçamentário] será relevante e significará um passo importante para que seja garantida educação pública de qualidade”, sustenta.

Caixa divulga edital de concurso público para níveis médio e superior

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta quinta-feira (23), o edital do concurso público para cargos de níveis médio e superior.
O principal cargo do processo seletivo será o de técnico bancário, função inicial da carreira, com rendimento de R$ 2.025, para uma jornada de seis horas diárias.
Para os graduados, são oferecidas chances para engenheiros (áreas agronômica, civil, elétrica e mecânica), com salário de R$ 8.981 e expediente de oito horas diárias, além de oportunidades para médicos do trabalho, com jornada de quatro horas por dia e ganhos de R$ 4.021.
As inscrições serão recebidas a partir desta sexta-feira (24), pelo site do Cespe/UnB, até 11 de fevereiro. A taxa é de R$ 37 para o nível médio, e de R$ 74 para o nível superior.
O edital com todas as regras da seleção para o nível médio esuperior já podem ser consultadas. As provas devem ser aplicadas em 23 de março, com duração de quatro horas e meia.
Atualmente o banco tem 98.268 empregados em todo o Brasil. Apesar de as seleções da Caixa serem para formar cadastros de reserva, muitas convocações são feitas ao longo do período de validade dos concursos.
Os funcionários da Caixa recebem cesta alimentação de R$ 397,36, participação nos lucros, plano de saúde, auxílio alimentação no valor de R$ 509,96 e plano de previdência.
Os empregados recebem, ainda, participação nos lucros e resultados (PLR); participação em Plano de Saúde e participação em Plano de Previdência Complementar (Funcef).
No ano passado, o governo federal autorizou a contratação de mais 9.873 funcionários até 2015, com 4.850 admitidos ainda este ano.
Até 14 de junho, poderão ser chamados os aprovados do concurso de 2012, conforme a necessidade do banco. Depois desse período, os novos selecionados deverão ser convocados.

Sefaz lançará concurso público neste semestre e estuda número de vagas no Amazonas

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) lançará um novo concurso público ainda neste primeiro semestre do ano, informou o secretário Afonso Lobo. O órgão recebeu a autorização do governador Omar Aziz há 15 dias e está montando uma comissão para definir o número de vagas necessárias.
“Estamos codificando com calma. A comissão vai estudar o que será preciso, em termos de vagas, até porque temos casos de aposentadoria”, disse Lobo. O planejamento do órgão é lançar o edital até o final do primeiro semestre de 2014 e nomear os aprovados em 2015.
Mesmo sem definir quantas vagas serão disponibilizadas, o secretário adiantou que os cargos de auditor fiscal e outros da área técnica tributária e financeira estarão disponíveis no certame. Ainda em formação, a comissão vai levantar os setores que estão precisando de novos servidores, assim como os salários.
O último concurso da Sefaz foi realizado em 2005 e teve 25.566 candidatos concorrendo as 390 vagas de nível Médio e Superior. Os salários iam até R$ 8 mil. Esse é o segundo concurso realizado em 25 anos.
O diretor da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco) e ex-presidente do Sindicato dos Funcionários Fiscais do Amazonas (Sindifisco-AM), Joaquim Corado, participou da reunião com o governador onde foi definido que o Estado realizará o concurso. Corado, que deixou o mandato do Sindifisco-AM em 31 de dezembro, informou que o pedido feito ao governador foi de 300 auditores fiscais.
De acordo com Corado, das 510 vagas existentes, 234 estão vagas. “Temos uns 80 auditores para se aposentar em um ou dois anos”, disse.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Concurso para 520 vagas em Tabatinga é suspenso pelo TCE-AM

A conselheira-substituta do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE), Yara Lins, suspendeu na manhã de hoje (21), por meio de medida cautelar, o concurso público para o preenchimento de 520 cargos efetivos no município de Tabatinga. A suspensão do edital nº 01/2014, cujas provas estavam previstas para o próximo dia 2, atendeu a uma representação do procurador do Ministério Público junto ao TCE, Evanildo Santana.
Conforme a representação, várias falhas foram detectadas no edital do concurso, entre elas a não indicação de leis municipais que fundamentassem a necessidade dos cargos pretendidos, quantidade, suas atribuições, carga horária, remuneração e requisitos, comprovando a regularidade das disposições do edital, conforme estabelecem as leis nº 473/2006, nº 511/2008, nº 655/2013, 6 nº 59/2013 e a nº 660/2013.
medida-cautelar-tce-am
Segundo conselheira-substituta, o concurso foi suspenso para evitar dano ao erário, uma vez que as falhas apontadas não foram sanadas e levando-se em conta que as provas seriam realizadas no dia 2 de fevereiro.
Em seu despacho, Yara Lins deu um prazo de 15 dias ao responsável legal pelo concurso, no caso a prefeitura, para desse explicações ao TCE e corrigisse o edital, sob pena de o concurso ser cancelado.
As inscrições aconteceram entre os dias 10 a 30 de dezembro do ano passado. A Comissão Permanente de Concurso do Centro Educacional Tecnológico da Amazônia (Copec/Cetam) é responsável pelo concurso.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Novo coquetel deixa hepatite C mais perto da cura

Novo coquetel de dois medicamentos demonstrou ser muito eficaz contra a hepatite C, segundo resultados de teste clínico publicados, revelando que esta infecção crônica do fígado estaria a ponto de ser derrotada. O estudo feito nos EUA se concentra na combinação de dois antivirais ingeridos oralmente, o daclatasvir e o sofosbuvir, e mostra que a mistura dos dois supõe taxa de cura de 98% sem gerar efeitos colaterais significativos. “Esta pesquisa abre caminho para tratamentos seguros, bem tolerados e eficazes para a grande maioria dos casos de hepatite C”, comemorou o doutor Mark Sulkowski, principal autor do estudo. Nos EUA, a hepatite C mata mais do que a Aids.